Estado nega dívidas com hospitais filantrópicos

postado em: Notícias | 0

Em nota, Governo explicou que repassa recursos a

prefeituras que dão destino adequado

hospitalgeral.jpg

O Governo do Estado negou, nesta terça-feira (8), que tenha algum tipo de dívida com os hospitais filantrópicos de Cuiabá e Rondonópolis. Na última semana, os hospitais Santa Helena, Geral Universitários, do Câncer e as Santa Casas de Cuiabá e Rondonópolis suspenderam atendimentos pelo SUS alegando atraso nos repasses por parte do Estado.

Porém, o Estado alega que não efetua os repasses a nenhum dos hospitais filantrópicos. A alegação é de que os recursos são transferidos para as prefeituras, que devem dar o destino adequado. “Portanto, com os hospitais filantrópicos não existe diretamente nenhum contrato e nenhuma dívida como foi divulgado”, diz trecho de nota encaminhada pelo executivo.

Segundo a nota, no final do ano passado, o Estado repassou diretamente R$ 7,5 milhões aos hospitais filantrópicos para restabelecer os atendimentos de forma emergencial. Na ocasião, as unidades também haviam deixado de atender pacientes do SUS.

“A intenção dos representantes filantrópicos é que o governo do Estado continuasse com a ajuda financeira pelos meses seguintes”, completa a nota.

O governador Pedro Taques (PSDB) chegou a se reunir com os diretores das unidades de saúde para tratar de questões financeiras. Na ocasião, o chefe do executivo explicou que sem “dinheiro novo” não há como atender o pleito deles.

Íntegra da nota:

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), apoia financeiramente as prefeituras de Cuiabá e de Rondonópolis com repasses financeiros, que são usados pelas secretarias municipais de Saúde para o custeio de serviços médicos, incluindo aqueles contratados junto aos hospitais filantrópicos. Portanto, com os hospitais filantrópicos não existe diretamente nenhum contrato e nenhuma dívida como foi divulgado.

No final de 2016, diante das dificuldades financeiras enfrentadas pelos hospitais filantrópicos, o governador Pedro Taques autorizou um repasse emergencial para os hospitais durante três meses. Conforme portaria assinada foram repassados R$ 2,5 milhões nos meses de dezembro de 2016, em janeiro e fevereiro de 2017, totalizando um repasse de R$ 7,5 milhões. 

O valor mensal era para ser dividido entre a Santa Casa de Rondonópolis, e mais os hospitais de Cuiabá: Santa Casa, Santa Helena, HGU e Hospital do Câncer. Entretanto, a intenção dos representantes filantrópicos é que o governo do Estado continuasse com a ajuda financeira pelos meses seguintes.

No dia 18 de julho dirigentes dos hospitais filantrópicos se reuniram com o governador Pedro Taques e representantes da SES para falar sobre as dívidas dos hospitais. Na reunião, foi explicado que, sem dinheiro novo, o Estado não tinha condições de continuar com o auxílio financeiro, diante da crise econômica e da escassez de recursos.

Fonte: FOLHAMAX

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 17 =