Sindicato cobra auditoria em contas da Secretaria de Saúde

postado em: Notícias | 0

O Sindicato dos Profissionais de Enfermagem (Sinpen/MT) pretende solicitar uma auditoria nos contratos e repasses de recursos por parte da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) à Santa Casa de Misericórdia, em Cuiabá. O pedido deverá ser feito hoje, durante Tribuna Livre, na Câmara de Vereadores. Encaminhamentos semelhantes também deverão ser feito pelo Sinpen/MT aos Ministérios Público do Trabalho (MPT), Federal (MPF) e do Estado (MPE).

“Vamos pedir amanhã (hoje). A função do vereador não é fiscalizar as ações do Executivo? Afinal, são eles que têm que fiscalizar essa situação”, disse o presidente do Sinpen/MT, Dejamir Soares. Desde a última segunda-feira, técnicos, auxiliares e enfermeiros da Santa Casa paralisaram as atividades reivindicando o pagamento de três meses de salários.

Alegando dificuldades financeiras e atrasos nos repasses, a direção do hospital filantrópico suspendeu o atendimento para novos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). De acordo com o diretor Antônio Preza, o déficit hoje é da ordem de R$ 20 milhões. Porém, tanto a prefeitura como o Governo do Estado afirmam que estão em dia com os repasses. “O pedido será para auditar as contas da Secretaria de Saúde e da Santa Casa para saber quem está falando a verdade”, frisou Soares.

Segundo Soares, até ontem não houve avanços. “Não receberam e não tem previsão de pagamento. A greve continua. Nos setores fechados, como as UTIs, centro cirúrgico e hemodiálise, são mantidos 50% (dos funcionários). Nos setores abertos, como enfermaria e apartamento, 30% trabalham e 70% param”, informou. Com quatro meses de pagamento atrasados, os médicos do hospital também reduziram os atendimentos.

 

OUTROS FILANTRÓPICOS – Também alegando dificuldades financeiras, outros hospitais filantrópicos localizados em Cuiabá, não descartam a suspensão de atividades prestadas pelo SUS. Este é o caso do Hospital Geral Universitário (HGU).

Para o HGU, os atrasos de repasses atingem um volume de R$ 5 milhões, segundo a assessoria de imprensa da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos de Mato Grosso (Fehos/MT). A expectativa é que parte desse montante seja repassada até a próxima sexta-feira. Caso contrário, a interrupção de alguns serviços por falta de insumo pode ocorrer a partir da segunda-feira.

Em Rondonópolis (210 quilômetros, ao sul de Cuiabá) a direção da Santa Casa local suspendeu novas internações na unidade de tratamento intensivo (UTI) há uma semana. Os hospitais filantrópicos atendem 80% da demanda do SUS, no Estado.

 

FONTE: FOLHAMAX

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze + 2 =