Hospitais Regionais podem se tornar universitários em MT

postado em: Notícias | 0
Nesta segunda-feira (18), representantes da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), juntamente com o deputado Delegado Claudinei (PSL), se reuniram com o secretário de Estado de Saúde de Mato Grosso, Gilberto Gomes de Figueiredo, para discutir a consolidação de convênio a fim de tornar os hospitais regionais de Rondonópolis e Sinop em hospitais universitários.

Há dois anos, foi iniciada a discussão sobre a possiblidade de parcerias por parte de representantes da UFMT, que buscaram apoio juntamente aos governos estadual e federal para viabilizar o convênio. “É de interesse nosso. O que vocês estão querendo tem o encaminhando do que queremos. Estamos fazendo uma análise de todos os nossos hospitais”, comentou o secretário de Estado de Saúde.

Para o deputado Delegado Claudinei a expectativa é positiva para conclusão do convênio dos hospitais regionais e a UFMT.

“Temos uma previsão muito boa e otimista. Essa é a terceira etapa, sendo que iniciamos com a reunião na Universidade Federal de Rondonópolis, onde nos foi apresentado o projeto e, em seguida, estivemos presentes no governo federal visitando os parlamentares de Mato Grosso. Todos foram unânimes em apoiar o projeto, que é muito interessante para o Estado. E hoje tivemos essa reunião com o secretário de Saúde, que também aponta que o governador concorda positivamente. Acreditamos que em poucos dias retornaremos com uma agenda novamente em Brasília com a bancada federal de Mato Grosso”, enfatiza o parlamentar.

Na busca de promover melhorias ao setor da Saúde para atender população mato-grossense e favorecer a classe universitária dos cursos de Medicina e Enfermagem da Universidade, o convênio também proporcionará a obtenção de recursos financeiros para potencializar os serviços oferecidos pelos hospitais. Estas unidades de saúde atendem casos de traumas e queimados de média e alta complexidades, sendo que Rondonópolis abrange municípios do sul e Sinop no norte de Mato Grosso, como, também, algumas cidades do Pará.

FONTE: FOLHAMAX

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × cinco =