Pacientes reclamam de falta de estrutura e insumos em policlínica em Cuiabá

postado em: Notícias | 0

Os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) estão reclamando da falta de estrutura da Policlínica do Bairro Planalto, em Cuiabá. Os pacientes denunciam a precariedade na estrutura e a falta de vagas para atendimento no Centro de Especialidades Odontológicas do Planalto.

Segundo os pacientes do Centro de Especialidades Odontológicas, a unidade não está tendo vagas para atendimentos. Eles reclamam que, além da demora, têm que ir de madrugada para agendar uma vaga. Mesmo assim, normalmente não conseguem.

Os pacientes disseram que têm que dormir na fila para conseguir a vaga, pois o agendamento é feito por ordem de chegada e fila de espera. Além de não conseguirem, também disseram que há dificuldade na falta de contato telefônico pela unidade.

Um paciente relatou que chegou na madrugada, ficou quase a manhã inteira e não conseguiu uma vaga por causa de uma cadeira no equipamento odontológico para o atendimento. O objeto estaria quebrado.

Outra paciente disse que a filha foi quatro vezes até o Centro de Especialidades tentando atendimento e não conseguiu uma vaga. Na última tentativa, disseram a ela que não tinha médico.

Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), disse que os paciente devem buscar atendimento próximo da localidade onde moram. A rede pública na capital possui 10 unidades entre centros especializados e clínicas odontológicas, além das unidades de atenção básica de urgências e emergências que funcionam 24h nas UPAs e policlínicas.

Sobre insumos, a unidade trabalha com o contingenciamento devido ao processo licitatório que está em fase de conclusão. A unidade de saúde em questão está atendendo normalmente, entretanto, priorizando os atendimentos de urgência e emergência, e que o restabelecimento do fluxo normal está previsto para daqui 30 dias.

A demora no atendimento, segundo a nota, é porque faltam profissionais. Em relação à cadeira odontológica estar quebrada, a informação não procede.

Ainda na nota, a secretaria negou que os pacientes precisam dormir em filas ou ir durante a madrugada para agendar. As ligaçõe para os pacientes são feitas prioritariamente em duas vezes distintas, caso o paciente não atenda, a equipe de contato, o call center, inicia o chamamento para o próximo da fila.

FONTE: FOLHAMAX

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =