Mato Grosso tem deficit de mais de 6 mil profissionais na saúde

postado em: Notícias | 0

Os problemas enfrentados pelos pacientes que necessitam de atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS) em Mato Grosso tem como fator agravante a falta de profissionais para realizar o atendimento. Há 6.495 cargos vagos na Secretaria de Estado de Saúde (SES) em janeiro de 2020.

Há mais de 15 anos sem um concurso público para a saúde, apenas uma pequena parte dos cargos vagos foi coberta com profissionais contratados.

Leia também – Grupo coloca faixa no Portão do Inferno: ‘você é precioso’

A maior parte do deficit é para os profissionais de nível médico, que incluem os técnicos de enfermagem e também os que realizam o trabalho administrativo. Há 3.569 cargos vagos, porém, só 71 pessoas foram contratadas.

Já para os técnicos de nível superior, que incluem médicos, enfermeiros e assistentes sociais, existem 2.630 cargos em aberto e foram realizadas 36 contratações.

Também estão abertos 403 cargos para profissionais de apoio em serviços de saúde do SUS.

Outro lado
A Secretaria de Saúde encaminhou a seguinte nota.

“A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) esclarece que o número de 6.495 não representa o déficit de vagas do órgão, pois trata-se apenas de uma previsão de cargos, não havendo obrigatoriamente em operar com esse quantitativo. Essa situação de cargos teve origem no ano de 2004, quando houve a revisão da Lei de Carreira no âmbito da Saúde Estadual.
 
A SES ainda enfatiza que, no serviço público, a previsão de vagas se dá por meio de legislações específicas e respectivas às áreas de competência institucional. Diante disso, o preenchimento dos cargos deve considerar o quadro de lotação, perfis profissional e ocupacional, face às inovações tecnológicas, modernização dos processos de trabalho, criação e ampliação de unidades de assistência de serviços de saúde e outras variáveis aplicadas.

Também é levada em consideração a previsão orçamentária e financeira e o cumprimento do limite imposto pela Constituição Federal e Lei de Responsabilidade Fiscal”.

 

FONTE: gazeta Digital

Thalyta Amaral

thalyta@gazetadigital.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis − 12 =